Partindo da premissa de que o oposto de bom é mau, equivocadamente a sociedade vem internalizando essa ideia para justificar suas ações. A tendência identificada é que para aperfeiçoar os pontos fortes, tem-se dado atenção aos pontos de fraqueza, num processo de identificação, análise e correção. Mesmo tendo boa intensão, essa tendência é totalmente discutível.

            Segundo a premissa da Programação Neurolinguística: focalizar significa expandir o objeto escolhido. Quando você foca nos pontos de fraqueza, você está energeticamente atraindo mais fraqueza, expandindo-a. É como colocar um relógio de sol na sobra. Sua função não será otimizada. Por mais que se deseje ter um desempenho melhor, esse método não trará o resultado esperado. Dar foco nos pontos positivos, tornando-se um especialista, iluminando suas potencialidades, é o caminho a ser seguido para um desempenho extraordinário em todas as áreas de sua vida. Para isso, deve-se identificar, focar e desenvolver seus pontos fortes. É fazer o melhor que podemos com as cartas que recebemos.

         A construção de uma vida produtiva é um grande desafio que envolve uma gama de variáveis distintas: sua autoconsciência, sua maturidade, oportunidades, suas referências, valores, dentre outros.

            Para desenvolver essas variáveis, três pontos levam a criação de seus pontos fortes:

  • Talentos;
  • Conhecimento;
  • Técnicas.

Seus talentos são inerentes, enquanto que os conhecimentos e técnicas podem ser aprendidos e praticados. Assim, a questão reside na identificação de seus talentos dominantes e o refinamento destes através da aquisição de conhecimentos e técnicas. Investigue com cuidado seus talentos, conhecimentos e técnicas. Aprenda a diferença entre eles. Descubra seus talentos inatos e depois foque em conquistar os conhecimentos e técnicas para convertê-los em pontos fortes. Mas, como fazer isso? A resposta encontra-se na autogestão pessoal e o Coaching pode te ajudar fortemente.

           Inicie buscando respostas para os seguintes questionamentos: Quem sou eu? Quais meus pontos fortes? Como eu trabalho para alcançar meus resultados? Quais são os meus valores? Onde me encaixo? E por fim, um passo importante para um resultado eficaz da autogestão, uma análise de feedback.

         Uma maneira de conhecer a si mesmo e seus pontos fortes é a utilização da análise de feedback. A técnica é simples: todas as ações que passem por uma decisão e uma atitude, deve-se anotar o que se espera. Com determinado tempo, deve-se realizar uma análise dos resultados obtidos com as expectativas criadas. Além de elucidar os pontos fortes, essa técnica, também mostrará tudo que é feito ou deixado de lado, bem como os motivos.

       Faz-se necessário o foco nas áreas de melhor desempenho, onde residem os pontos fortes. Comece pela pergunta: Como eu posso contribuir? Isso traz sensação de liberdade, conferindo responsabilidade.

       Assim, observe a si mesmo, identificando seus pontos fortes, intensifique-os com a prática e o aprendizado constante. Se assim o fizer, será mais produtivo, efetivo e vitorioso em seus objetivos.

 

Marco Aurélio Silva, Coach de Liderança:

Especialista em Pedagogia Empresarial e Educação Corporativa, com Formação em Química. Analista Comportamental DISC; Practitioner em PNL;  e Executive Coach pela Academia Latino Americana de Coaching – ALAC. Atualmente, Educador Corporativo da Universidade Corporativa dos Correios (UniCorreios) campus Pernambuco.