Afinal, quais características ou responsabilidades o indivíduo precisa ter para ser considerado um líder? Traços físicos, intelectuais e sociais diferenciam líderes de liderados? E, seria possível nascer um líder, com seu perfil já direcionado para conduzir pessoas à excelência?

É intrigante aceitar a ideia de que o indivíduo, de forma inata, já esteja preparado e predestinado a exercer a liderança em sua essência, desde o seu nascimento. Mas ainda existem pessoas que acreditam fielmente que esta é a única possibilidade de você ser um autêntico líder. Os traços físicos estão relacionados à aparência, estatura, energia e força física. Os traços intelectuais estão ligados às características de adaptabilidade, entusiasmo, autoconfiança e elevado coeficiente intelectual. Os traços sociais estão ligados aos aspectos de cooperação, habilidades interpessoais e habilidades administrativas. E se faz necessário também possuir características direcionadas à realização da tarefa, precisando ter o impulso de realização, persistência e iniciativa (Vergara, 2003).

Segundo a Teoria dos Traços, diferenciar líderes de liderados é uma tarefa simples: basta fazer um check list: se possuir todas as características citadas acima, entra para o time dos líderes; por outro lado, quem não tiver já será liderado. A priori parece, de fato, ser algo relativamente simples e resolveríamos objetivamente muitos dilemas organizacionais e evitaríamos perdas desastrosas de investimento financeiro na formação de líderes. Mas, concomitantemente, estaríamos assegurando que todos os estudos e livros que abordam a formação do líder, escritos até aqui, foram investimentos desperdiçados, pois de nada valeria querer formar pessoas que já nasceram formadas. Cursos de liderança seriam também invalidados, por estarem focados no desenvolvimento de líderes.

Como já puderam perceber, pertenço a outro grupo de pensadores, aqueles que acreditam planamente na formação de líderes, que liderança é, sim, uma competência que pode ser desenvolvida, e muitos dos aspectos citados neste texto podem, sim, estar associados ao sucesso do líder, mas que nenhum deles, por si só, garante este sucesso.

Frente a este novo cenário, como obter sucesso na arte de liderar? Qual abordagem é mais eficaz? Quanto tempo de experiência precisa ter para atingir alto índice de assertividade e produtividade? Como influenciar pessoas e formar os subordinados em líderes autênticos?

O processo de liderança é uma construção contínua que requer constante atualização com as demandas emergentes de mercado. E para que tenha a oportunidade de liderar, não precisa necessariamente ter um cargo que tenha responsabilidade por alguma equipe dentro de uma empresa. Antes disso, você precisa liderar sua família, seus filhos, seus estudos, SUA VIDA.

Nossas escolhas contribuem diretamente para o nosso sucesso ou fracasso. Afinal, quais têm sido as suas escolhas? Em que você tem investido? Quais são os seus modelos? Trabalhe para que você possa construir um legado de liderança e, desta forma, obtenha sucesso em sua vida pessoal e profissional.

Bibliografia Consultada: VERGARA, Sylvia C. Gestão de Pessoas. 3 ed. São Paulo: Atlas, 2003.

Filipe Lopes

Presidente & Master Trainer da ALAC

(19) 99154-2376 (Whatsapp)